Como manter os laços familiares mesmo com as dificuldades

A família é nosso primeiro contato com a vida em comunidade, que nos protege e nos cuida em nossos primeiros anos de vida. Ela contribui para a formação de nossos valores e afetos, que levamos para toda a vida.

Mas nem sempre o convívio familiar é harmonioso, existem momentos difíceis e é importante saber o que fazer para resolver conflitos, com respeito, diálogo e carinho. Na pandemia causada pelo novo coronavírus, o isolamento social tem feito com que muitas famílias tenham que conviver intensivamente, o que pode causar situações de estresse. Veja a seguir algumas dicas sobre como manter os laços familiares mesmo com as dificuldades.

Como manter os laços familiares mesmo com as dificuldades: 7 passos

1. Estabeleça diálogos

Uma família que não conversa, não se escuta, não tem possibilidades de se entender, se conhecer. O diálogo é uma ferramenta importante para se compreender o outro e é preciso saber que o diálogo começa pela escuta. Buscar ouvir o outro, tentar entender suas necessidades, os motivos que o faz agir de determinada maneira nos ajuda a ter empatia. Além disso, pela compreensão, conseguimos comunicar melhor as nossas necessidades. Uma boa forma de se estabelecer esse diálogo é pela comunicação não violenta, um conjunto de ações e reflexões que nos ajuda a ouvir melhor as pessoas e a nos comunicar melhor. Pela comunicação, conseguimos organizar melhor a casa, a rotina, a utilização das mídias, como televisão, aparelho de som, computador etc.

2. Entenda seus limites e os limites dos demais

A comunicação nos ajuda a estabelecer nossos limites e conhecer os limites dos demais. Entender esses limites nos ajudam a não entrar em conflitos e a respeitar espaços e individualidades. Cada pessoa da família tem características únicas. Apesar de parecidos, nenhum filho é igual ao outro, cada um tem uma personalidade diferente. Entender essas diferenças nos ajuda a agir melhor. É importante que cada pessoa possa ter seu espaço, ainda que seja em um quarto compartilhado.

3. Aposte na coletividade

Respeitar a individualidade de cada um ajuda em outro aspecto importante do convívio familiar: a coletividade. Entender a particularidade de cada um ajuda nos afazeres da casa, na organização, na utilização dos utensílios compartilhados, nos horários de utilização do banheiro, ou seja, nas rotinas da casa. Muitos conflitos podem ser evitados com essa consciência do uso coletivo. Além disso, esse convívio serve de exemplo para que as pessoas tenham essa mesma noção no convívio coletivo na sociedade como um todo.

4. Aja de forma justa e honesta

No convívio com aqueles que amamos, em especial com nossos filhos, é importante ter coerência nas nossas ações e nas nossas falas. É preciso entender que autoridade não é autoritarismo e que é mais importante analisar as situações de forma justa e igualitária do que tentar ter razão em tudo. Aqui, mais uma vez é a escuta que nos ajuda a como manter laços familiares mesmo com as dificuldades.

5. Incentive a organização

O convívio coletivo e a escuta, a compreensão da individualidade já dão base para se encontrar as melhores formas de se organizar a casa. Estabelecer a rotina, dividir as tarefas de limpeza, preparação das refeições, delegar funções, comunicar datas importantes, como o pagamento de contas, a compra do gás, entre outras ações importantes ajudam para que os pais, principalmente as mulheres, não se sintam sobrecarregadas com o excesso de funções na casa. Na pandemia, essa sobrecarga aumentou consideravelmente.

6. Pratique a cordialidade

É difícil conviver com uma pessoa que está de mal humor com frequência, que não nos trata com educação. Esse convívio difícil dentro de casa pode fazer com que as pessoas se distanciem e diminuem as possibilidades de diálogo. Tratar bem os familiares, ser educado, usar as palavras mágicas como “obrigado” e “por favor”. Desejar um bom dia, uma boa noite, bom descanso, um bom trabalho, bom estudo são formas de ser cordial e demonstrar carinho e cuidado. São pequenas atitudes que fazem diferença em nosso dia a dia.

7. Afeto, vínculo e apoio

A família é a forma mais importantes de vínculo afetivo que temos com as pessoas. Demonstrar nossos sentimentos por aqueles que amamos nos faz bem, melhora nossa saúde e é fundamental para manter laços familiares mesmo com as dificuldades. Mesmo durante o isolamento social, é possível manter esses vínculos, por meio das chamadas de vídeo, mensagens instantâneas e redes sociais.

Esteja disponível para ouvir seus entes queridos, principalmente nos momentos de dificuldade. Oferecer escuta e apoio, sem julgamentos, ajuda em muitos fatores. Casos agravados, como o aumento do consumo de drogas durante a pandemia, por exemplo, podem ser motivos de conflitos e desentendimentos. Muitas pessoas podem precisar da ajuda de uma clínica de recuperação e é imprescindível que a família ofereça apoio nesse momento.

Com atitudes simples, é possível manter os laços familiares mesmo comas dificuldades, nos ajudando a ter uma vida mais saudável, leve e equilibrada. Comenta o que achou dessas dicas!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *